segunda-feira, setembro 28

O Novo Cinema Novo?

Como sabem (ou não) domingo foi meu aniversário, e tive a oportunidade de reunir alguns amigos para comer uns onion rings, doritos e skin potatos, regados a cerveja e vinho e muita conversa. E lá no pico do Tabuca tivemos um longo papo que começou com a seguinte indagação: Whatahell? O que está acontecendo com o mundo do showbiz? Ah, o tal Showbiz... além de ser o álbum de estreia da MAGNÍFICA banda Muse, é também o sonho de consumo de 98% de todos os jovens que escolheram a arte como meio de sobrevivência. Mas nós, nascidos entre as décadas de 80 e 90, temos a ligeira impressão de que tudo mudou, não é verdade? Sim, certamente porque é comum que isso aconteça com o passar dos tempos, afinal, se fosse sempre tudo igual o nível de suicídio seria, no mínimo, o dobro. Além do mais, o que vocês acham que os apreciadores de The Beatles pensaram de nós quando queríamos ouvir um loiro vestido de lenhador exclamar toda a sua dor com melodias sem explicação? Mas qual é a nossa dificuldade em aceitar o novo rumo da arte?

Aprendi que em uma dissertação, não podemos deixar perguntas sem respostas, então tentarei levar a vocês a conclusão que chegamos no quintal, naquele domingo quente.

Conhecemos como Cinema Novo aquela "revolução" ocorrida no cinema brasileiro, no qual cineastas como Glauber Rocha tiveram a oportunidade de expor suas obras, que na época não foram apreciadas e que hoje é o reduto de inspiração dos pseudo cult da nossa geração. Nessa época surgiram filmes como "Deus e o Diabo na Terra do Sol" e "Terra em Transe" outrora tidos como sem nexo e "forma de arte desprezível". E é esse cenário que vemos hoje. Filmes incompreendidos, sem nexo e desprezíveis. Sob a nossa ótica, é claro.

O showbiz está cada vez menos seletivo, e por esta razão vemos surgir tanta banda e filme sem qualidade, que se tornam incompreendidos em sua época, isso gera preconceito e falta de conhecimento. Mas isso não é novidade. Novidade é que, quem pretende trabalhar com arte daqui para frente, deverá ter a certeza de que não encontraremos mais Glauber Rocha e Cacá Diegues, não encontraremos mais Led Zeppelin e Nirvana, tampouco Machado de Assis e Fernando Pessoa. Não teremos mais imortais, talvez um ou outro. E é nesse mundo que iremos trabalhar. O Novo Cinema Novo se aplica a todos os tipos de arte. A perpetuação dos imortais está nas nossas mãos, acreditem se quiser.

A conclusão que chegamos é que assim como o público mudou, o critério da mídia mudou também. E nada do que pensamos ou falamos pode mudar isso. E então percebemos que isso também não é novidade, e voltamos para o ponto inicial da conversa: a mídia segue o povo ou o povo segue a mídia? Quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha?


Essa resposta é muito pessoal e intransferível, e como não quero confusão, prefiro parar por aqui. Desculpe por enganar vocês e deixar perguntas sem respostas. Na verdade eu queria mesmo era saber a opinião de cada um :)

3 comentários:

Fernando Cazelli Perez disse...

Well, na minha opinião, a mídia se fundiu um pouco com o público na nossa geração, e a culpa é toda da Internet. Blogs, Youtube, Twitter, Orkut, tudo isso nos "ajuda" a exprimir nossas idéias. às vezes, uma ótima idéia, que 20 anos atrás seria a nova música do Nirvana vira um post bonitinho.
E enquanto isso a MTV dá aos jovens o que eles querem, um pseudo cult, que não vale mais do que um punhado de lixo...
Enfim, essa é a MINHA opinião.

CAMIS disse...

To ligado, ele inclusive vinha pro Festival do Rio. Mas nem vem mais :~~

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Anônimo disse...

O NOVOCINEMANOVO SOMOS NÓS: TAU TOURINHO, LUCAS VIRGOLINO & GABRIEL LOPES PONTES, HERDEIROS, CULTORES & SEGUIDORES DE GLAUBER, QUE DESDE 2008 MOSTRAMOS NOSSOS FILMES NO BRASIL & NO EXTERIOR. JOGUEM NO GOOGLE "NOVOCINEMANOVO","INCARCÂNU A TIORTINA", & "S ZUMBIS DE MARIA MANDÚ" & NO CONHEÇAM. ABRAÇÃO A TODOS!