quarta-feira, maio 20

Lars Von Trier, o melhor do mundo (?)


Lars, o cineasta de 53 anos que disparou na mídia nesta última semana, apresentou na mostra de Cannes seu mais novo filme "Antichrist". O filme foi vaiado por muitos, aplaudido por poucos e mal compreendido pela maioria dos telespectadores que se chocaram com as cenas de sexo e mutilação do longa.

O filme, que é estrelado por Willem Dafoe, é um suspense/terror que o diretor diz ter usado para se tranquilizar de um processo depressivo recente, mas de "tranquilizador" o filme não tem nem o título. Durante a coletiva depois do filme, o diretor foi questionado do porquê de fazer um filme como aquele, e ele, educadamente disse que não precisava se justificar para ninguém, e que ele havia feito o filme para ele mesmo. Em um ato de pura arrogância, o diretor não tem papas na língua ao afirmar que ele é o melhor diretor de cinema do mundo.

E ai começa o meu post. Como assim? Vejamos os fatos:

- O seu filme mais aclamado foi "Europa" feito em 1991, que levou alguns prêmios em Cannes, mas que nem ao menos foi indicado a um Oscar.

- Sua única indicação para o prêmio da academia foi ao prêmio de Melhor Canção Original em "I've seen it all", de Dançando no Escuro, em 2000. Não levou. O prêmio ficou para "You'll Be in My Heart", de Tarzan.

- Seu primeiro longa foi filmado em 1982 e se chama Befrielsesbilleder.

- Dogville é um ótimo filme, mas é o principal de sua carreira que não se parece com um.

Ora vejamos, temos atualmente um grande leque de diretores talentosos que fazem filmes geniais e que jamais tiveram a audácia de se taxarem como o "melhor do mundo", porque então um dinamarquês (xenofobias à parte) que inventou um tal modelo de filmar [Dogma95] na qual o uso de cenários é algo repudiado, resolveu de uma hora para outra que Martin Scorsese, Quentin Tarantino, Francis Ford Coppola, Brian DePalma, Woody Allen, Oliver Stone, Bernardo Bertolucci, Steven Spielberg são inferiores à sua capacidade de fazer filmes sem cenários, com a câmera na mão e 35 mm, por padrão?

Desculpem-me pelo texto totalmente crítico, mas tinha que expor minha indignação perante essa declaração infeliz, deste cineasta ainda aspirante.

Prepotência e cinema não combinam, Lars.

Um comentário:

Marcia Gullo disse...

Oi jubis pra vc que adora cinema tem um post especial la no BLOG DA GULLO, não deixa de ver ta bom???

Bejus linda e inté.

Ps.: vc ja pegou o selinho que eu deixei pro seu blog.
http://blogdagullo.blogspot.com/2009/04/selinho.html